"CAMPANHA CIVILMONT CONTRA HIPERTENSÃO ARTERIAL"

 
A Civilmont esta realizando em todas as obras e setores da empresa uma campanha de conscientização de todos os colaboradores, quanto aos riscos e prevenção da Hipertensão Arterial “Pressão alta”.  O nome é “CAMPANHA CIVILMONT CONTRA HIPERTENSÃO ARTERIAL”. Dados da OMS Organização Mundial da Saúde, divulga que a hipertensão é uma doença além da cifras.
A cada ano, cerca de 7,6 milhões de mortes, 14% do total mundial, são atribuídas à hipertensão não controlada. Cerca de 80% dessas mortes ocorrem em países de baixo e médio desenvolvimento econômico e mais da metade em indivíduos entre 45 e 69 anos. No Brasil, a hipertensão afeta mais de 30% dos adultos. Cerca de 315 mil óbitos ocorrem anualmente por doenças cardiovasculares, dos quais mais da metade estão relacionados à hipertensão, com destaque para os derrames e infartos. Além disso, a hipertensão é, em nosso meio, a principal causa de doença renal crônica, que ocasiona mais de 10 mil óbitos anuais no país e a inclusão de 95 mil pessoas em programas de diálise ou filas de transplante.


O Tabagismo contribui e muito para o aumento da pressão arterial.
Em estudos que correlacionam tabagismo à hipertensão arterial, os resultados demonstram que os valores de pressão sistólica (máxima) em fumantes são significativamente maiores que em hipertensos não fumantes, principalmente no período matutino, revelando assim o importante efeito hipertensivo do tabagismo. A nicotina absorvida durante a inalação da fumaça do cigarro é o principal elemento envolvido no aumento da pressão arterial, por ser extremamente prejudicial ao sistema cardiovascular, pois estimula a liberação de adrenalina e noradrenalina, substâncias que provocam o aumento da frequência de batimentos cardíacos e da pressão sanguínea, aumentando também a necessidade de oxigênio e dificultando a passagem do sangue.
Podemos afirmar categoricamente que tabagismo aumenta a pressão arterial; portanto, os hipertensos que fumam devem ser exaustivamente estimulados a abandonar esse hábito. O departamento de Hipertensão Arterial da Sociedade Brasileira de Cardiologia preconiza entre as medidas não medicamentosas do tratamento anti-hipertensivo a cessação do hábito de fumar como alvo incontestável a ser alcançado.


 


 
Qual a relação do álcool com a hipertensão arterial?
A adoção de um estilo de vida saudável é fundamental no combate à hipertensão e também para a sua prevenção primária. Dentro das variáveis de estilo de vida envolvidas, o excesso de consumo de álcool é um dos fatores relacionados com o desenvolvimento da hipertensão e também com a falta de seu controle. Existe uma relação entre consumo de álcool e nível da pressão arterial; freqüentemente, ao lado da ingestão excessiva de sal e da obesidade, o consumo excessivo de álcool está associado a um não controle da pressão arterial, tornando-se motivo de uma hipertensão arterial resistente.